Em maio, o comercial do agronegócio brasileiro foi de US$ 8,38 bilhões, sendo o terceiro maior da série histórica para meses de maio, abaixo apenas dos valores de 2012 e 2013. Foram US$ 9,68 bilhões em exportações e US$ 1,3 bilhão em importações. Os dados são do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.

As exportações foram lideradas pelo complexo soja, que alcançou um volume de vendas de US$ 4,72 bilhões, o que representa 48,8% do total dos embarques do setor. O resultado representa acréscimo de 7,5% sobre o valor registrado no mesmo mês do ano passado.

De acordo com o Ministério, esse desempenho foi puxado pelos embarques de soja em grão, que totalizaram 10,96 milhões de toneladas, com receita de US$ 4,06 bilhões. De acordo com a SRI, o volume embarcado de soja em maio deste ano foi recorde em relação a todos os meses da série histórica e é também o segundo mês consecutivo em que o volume ultrapassa 10 milhões de toneladas.

Ainda segundo a secretaria, um dos fatores do crescimento de participação complexo soja na balança comercial é a safra recorde de soja que o Brasil colhe nesta temporada. A Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) estima uma produção de 113,9 milhões de toneladas da leguminosa.

O Brasil incrementou sua produção de soja em 18,5 milhões de toneladas na última safra e ampliou suas exportações em quase 4 milhões de toneladas, passando de 30,8 milhões de toneladas exportadas entre janeiro e maio de 2016 para 34,8 milhões de toneladas entre janeiro e maio de 2017.

Caso a expansão das exportações chegue a 5 milhões de toneladas no ano, o Brasil exportará mais de 56 milhões de toneladas de soja neste ano, ultrapassando as vendas externas norte-americanas do produto, projetadas em 55,8 milhões de toneladas pelo Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA, sigla em inglês).

Além do complexo soja, produtos como açúcar (US$ 824,22 milhões e 1,99 milhão de toneladas) e celulose (US$ 527,72 milhões e 1,19 milhão de toneladas) tiveram destaques no mês de maio.

Foto: Jonas Oliveira/ /ANPr

Comentários

Conheça a Humantech