dia das crianças

O comércio espera o melhor volume de vendas do Dia das Crianças em quatro anos. A estimativa da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) é de uma movimentação de R$ 7,4 bilhões neste ano, registrando um crescimento de 3,4%, já descontada a inflação.

Somente para as lojas de vestuário e calçados a alta esperada é de 10,2%, o melhor desempenho entre os campeões de venda da data. O comércio de brinquedos e eletroeletrônicos também deverá voltar a crescer neste ano (5,7%). No entanto, em ambos os casos, as variações positivas esperadas para 2017 não repõem as perdas verificadas no ano passado (-12,2% e -7,6%, respectivamente).

A evolução recente do preço médio de 11 bens ou serviços mais demandados durante o Dia das Crianças tem demonstrado que a inflação associada a esta data comemorativa deverá ser a menor desde 2001 (4,3%). Entre os itens que registraram as menores variações de preço, estão os chocolates em barra e bombons (5,1%), CDs e DVDs (0,7%) e brinquedos (2,1%).

A queda na taxa média de juros ao consumidor, influenciada pela significativa desaceleração do nível geral de preços nos últimos meses, tem contribuído para reverter as perdas do varejo. Segundo dados recentes do Banco Central, o juro médio das operações com recursos livres tomados pelas pessoas físicas recuou de 72,4% para 62,3% ao ano, entre agosto de 2016 e de 2017.

Dessa forma, considerando os prazos médios vigentes – que se mantiveram praticamente estáveis nesse período – as prestações médias mensais de um empréstimo simulado de R$ 1.000 recuaram 8,3% nesse período, atingindo R$ 46,85 mensais em agosto de 2017 – a menor prestação nessa operação desde agosto de 2015 (R$ 46,75).

Foto: Agência Brasil

Comentários

Saiba mais sobre e-learning