dia dos namorados

Movimentação do dia dos namorados, números de contratações de jovens pelas pequenas empresas, produção de veículos no Brasil e injeção de dinheiro no varejo por conta do FGTS. Esses são os destaques do nosso podcast desta semana, que você pode acompanhar no link abaixo.

Considerada como uma das datas mais esperadas pelo comércio, o Dia dos Namorados deve movimentar R$ 1,65 bilhão neste ano. A previsão é da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC). Caso esse resultado seja confirmado, ele apresentará uma alta de 2,5% em relação a 2016, já descontada a inflação.

Somente o segmento de vestuário deverá movimentar R$ 564 milhões, uma alta de 3,2% em relação ao ano passado. O montante representa 37% das vendas totais do varejo nessa data. De acordo com o estudo, as lojas especializadas em itens de informática e comunicação também devem se destacar, com previsão de alta de 11,5% na comparação com 2016.

Considerando a taxa média de crédito para aquisições de bens, cartões de crédito, crédito pessoal e consignado, houve recuo médio de 97,3% ao ano para 86,9% entre dezembro de 2016 e abril de 2017. Além disso, de acordo com a CNC, a ampliação de 3% no prazo médio no período contribuiu para a suavização das prestações em segmentos do varejo em que a venda a prazo costuma se destacar.

Além da queda nas prestações e das melhores condições de crédito, o comportamento dos preços também deverá cumprir papel decisivo na reativação das vendas nessa data comemorativa. A cesta dos 25 bens e serviços mais demandados pelos consumidores nessa época do ano aponta a menor inflação em dez anos. Nos 12 meses encerrados na primeira quinzena de junho de 2017, esses itens registraram alta de 4,8%.

A expectativa da CNC é de que o varejo deve continuar investindo em liquidações, oferecendo linhas de produtos a preços mais atraentes, especialmente nos ramos de vestuário e itens de telefonia. De acordo com os últimos dados do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo – 15 (IPCA-15), a variação média de preços dos bens de consumo duráveis acumula a menor variação em quatro anos (-0,4%). Às vésperas do Dia dos Namorados, os itens de vestuário registraram variação (+2,3%) menor do que no mesmo período do ano passado (+5,4%).

Foto: Marcos Santos/ USP Imagens

Comentários

Melhore sua saúde financeira e tenha uma vida melhor